segunda-feira, 13 de maio de 2013

Puccinelli joga para sucessor escalonamento de aumento salarial de cabos e soldados



A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de Mato Grosso do Sul (ACS) convocou os policiais e bombeiros militares associados para uma Assembleia Geral nesta quinta-feira (16), às 9h, em Campo Grande para definir se aceitam ou não a proposta do governador André Puccinelli de reajuste em 7% neste ano, 8% para 2014 e 20% para soldados e 14% para cabos em 2015.

A proposta foi apresentada nesta manhã (13) para os diretores regionais, que levarão a proposta para assembleias nas cidades do interior. Para o cabo Aparecido Lima, diretor em Dourados, a proposta está muito aquém o que pede a categoria.

“Eu fiquei indignado com os percentuais. Provavelmente em Dourados não será aprovado. Nós já temos que comprar nossa farda, que custa em média R$ 170, mais o cuturno em média R$ 180, sendo que isso deveria ser dado pelo governo, então é muito pouco”, disse Aparecido.

A assembleia em Dourados está marcada para amanhã, às 15h. Também nesta terça-feira (14), ocorrem assembleias nas regionais em Fátima do Sul, Três Lagoas e Paranaíba. Na quarta-feira, às 14h, a sede da Regional de Ponta Porã sediará outra assembleia.

“É difícil prever o que a categoria irá decidir”, disse o Cabo Paulo Freitas de Queiroz, representante da Regional de Três Lagoas. “A gente sempre espera mais, mas por se tratar do governador André está dentro do esperado”, afirmou o Soldado Valdiney Martiniano Fernandes, diretor regional de Coxim.

Os cabos e soldados somam mais de quatro mil homens ativos e inativos no Estado, segundo o presidente da ACS, Edimar Soares. “É difícil dizer se vão concordar ou não com o proposto, mas estamos trabalhando para conseguir o máximo possível”, destacou Edimar.

Ainda segundo o presidente, a proposta inicial da categoria era chegar ao piso de R$ 4 mil em 2015. Com os percentuais de Puccinelli, em 2015 os cabos receberão R$ 3.807,85 e os soldados R$ 3.050,78. Um soldado da capital, que preferiu não se identificar, entrou em contato com oMidiamax para dizer que a categoria também não deve aprovar o proposto.

“O que queríamos era que os maiores percentuais fossem compromisso dele nesta administração e não deixar para 2015. Vai saber se o próximo governador vai cumprir?”, questionou o soldado.

A tabela com os percentuais oferecidos pelo governo está disponível no site da entidade pelowww.ronda.org.br. A assembleia na capital será na sede da entidade que fica na Rua Joaquim Manoel de Souza, 67, Vila Olinda. 

Fernanda Kintschner
midiamax

0 comentários :

Postar um comentário