terça-feira, 27 de agosto de 2013

Presidente da ACS reforça alerta: ‘não pensaremos duas vezes em aquartelar’



O presidente da ACS (Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de Mato Grosso do Sul), Edmar Soares da Silva, reforçou, na manhã desta terça-feira (27), o alerta sobre uma possível rejeição da PEC 300 em segundo turno. A proposta, que cria um piso salarial nacional para servidores da segurança pública, aguarda votação desde 2010, quando foi aprovada em primeiro turno.

“Estamos prestes e, se chegar ao extremo, não pensaremos duas vezes em aquartelar todo o País. Não é essa a vontade dos militares, que fique bem claro. Nossa intenção é discutir e aprovar a proposta em segundo turno, para depois encaminhar ao Senado”, disse Edmar, durante pronunciamento na Assembleia Legislativa.

Edmar, juntamente com outras lideranças estaduais, ocuparam o plenário da Câmara dos Deputados no início da última semana. A medida foi tomada após inúmeras tentativas de diálogo com o presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB/RN). Após o episódio, ele anunciou que se reuniria semanalmente com os servidores militares, que, a partir de agora, irão ‘fiscalizar’ a tramitação da PEC.

“Há alguns meses estávamos com 400 policiais militares dentro dessa Casa (Assembleia Legislativa). Naquela oportunidade, tínhamos os senhores como interlocutores”, lembrou, citando o regime de aquartelamento adotado pelos policiais e bombeiros, em maio. “Defendemos a ordem nesse País e, para isso, dependemos do apoio da sociedade sul-mato-grossense”, finalizou.

Amanhã, o presidente da ACS segue para Brasília, onde se reúne com Henrique Alves. A audiência está marcada para esta quarta-feira, às 17h.

Jeozadaque Garcia
Assessoria de Imprensa

0 comentários :

Postar um comentário