quinta-feira, 3 de abril de 2014

Governo não tem solução a curto prazo para falta de efetivo policial em Dourados, diz secretário

Segundo Jacini, formar policial não é simples como em outras profissões (Foto: Ademir Almeida)


Thalyta Andrade

360 policiais para atender a Dourados, Douradina, Itaporã, e mais oito distritos da região.

Esse é o efetivo disponível ao 3º BPM (Batalhão de Polícia Militar) do município que, como mostrado pelo governo do Estado, apresenta os melhores índices de redução de criminalidade. Porém, para o sindicato que representa a categoria, trabalha “no limite” com regime de plantões que sobrecarregam os servidores.

E o problema de efetivo, como mostrado peloDourados News em série de reportagens publicadas recentemente (confira abaixo no conteúdo relacionado) não se restringe à PM, mas ocorre também com a Polícia Civil.

No entanto, uma solução a curto prazo é algo descartado pela Sejusp/MS (Secretaria de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul), como afirmado pelo próprio secretário, Wantuir Jacini, durante visita realizada na manhã de hoje (3) à cidade, onde participou da entrega de viaturas e homenagens a policiais.

“Sem dúvida nenhuma entendemos que essa questão de efetivo é uma necessidade em Dourados. O planejamento estratégico da Sejusp já contemplava desde 2008 que nós todo ano teríamos concurso, e quase todo ano tem ingresso de novos policiais. Vai ser algo resolvido gradativamente, porque não podemos contratar um policial de uma hora para a outra. Tem que fazer concurso, que tem até oito etapas e leva até dois anos para termos ele pronto. Contratar um policial não é um processo rápido como em outras profissões. Precisa de concurso e treinamento para depois ir tomar posse”, justificou o secretário.

Questionado sobre o porquê da situação das polícias estar atualmente tão crítica em Dourados – como apontado por sindicatos - e também em outras cidades do Estado no que diz respeito a efetivo, Jacini se eximiu e disse que este é um problema crônico que vem de anos.

“Ocorre que o Mato Grosso do Sul é um Estado jovem, com pouco mais de três décadas de existência, que é quando entraram as primeiras turmas. E esse pessoal está se aposentando em número muito maior do que se esperava. Temos concursos em andamento, e Dourados vai receber recursos de pessoal. Tanto a PM quanto a Polícia Civil”, disse, sem declarar a quantidade.

Por fim, quando questionado sobre quando a segunda maior cidade do Estado, que naturalmente tem uma das maiores demandas de segurança, até por atender a outros municípios e também distritos, vai passar a ter efetivamente um quadro de policiais que atenda à necessidade e tire a sobrecarga que hoje recai sobre os que compõem o quadro atual, o secretário voltou a reafirmar que nada irá mudar em um curto espaço de tempo.

“Eu acredito que agora, com o aporte de mais efetivo que está acontecendo, e ultrapassando essa barreira dos 30 anos, a saída de servidores vai ser menor do que a entrada, e com isso então as instituições terão um efetivo maior. Até uns seis meses teremos mais efetivo chegando aqui. Aliás, já começou a chegar. Os delegados já tomaram posse desse esforço do concurso que está em andamento”, finalizou Jacini.


SAIBA MAIS





http://www.douradosnews.com.br/dourados/governo-nao-tem-solucao-a-curto-prazo-para-falta-de-efetivo-policial-em-dourados-diz-secretario

0 comentários :

Postar um comentário