quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Com déficit de 400 policiais, Dourados trabalha abaixo do limite

Polícia Militar em Dourados ganha reforço com 80 soldados na área central da cidade. (Foto: Hédio Fazan)

Com um déficit de 408 policiais militares, segundo dados da Associação de Cabos e Soldados da PM e da BM de MS (ACSPM), a cidade de Dourados recebe reforço de apenas 80 alunos que estão em formação. Eles fazem parte de um total de 130 formandos, sendo que, destes, 50 serão destinados para as cidades de Maracaju e Fátima do Sul. No centro de Dourados, 65 deles reforçam a segurança do comércio de fim de ano, que está funcionando em horário especial, até às 22h.

De acordo com o presidente da (ACSPM), Edmar Soares da Silva, enquanto o município de Dourados conta com 433 policiais militares, o ideal seria 841. Esses números mostram que a cidade, juntamente com os distritos, têm metade do que é o necessário. “A recomendação da Organização das Nações Unidas (ONU) é para que haja um policial a cada 250 habitantes e que cada viatura tenha o mínimo de quatro componentes e que eles tenham tempo de descanso. Estamos muito aquém desta realidade, tanto em Dourados, como em todas as cidades de MS. Com os 80 novos policiais, este número sobe para 513 PMs, faltando ainda 328 para ser ideal. Hoje, o déficit médio no Estado em relação a efetivo é de 40%”, observa, destacando que hoje Mato Grosso do Sul tem 4.450 policiais, mas precisaria de 9.8 mil para atender à demanda; um déficit de 5.350.

Deputados recuam e projeto que extingue 10% de gratificação não avança; ACS mantém ‘vigilância’


Presidente da ACS, Edmar se posicionou contra a alteração na legislação. (Foto: Divulgação/ALMS)

O projeto de lei que prevê o fim dos 10% de acréscimo no salário para motoristas de viaturas e comandantes de guarnições não avançou, na sessão desta quarta-feira (17) da Assembleia Legislativa, mas ainda não foi apreciado pelos deputados. Por isso, o presidente da ACS (Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de Mato Grosso do Sul), Edmar Soares da Silva, disse que vai manter vigilância para barrar a proposta.

“O deputado Cabo Almi buscou o consenso com os demais deputados para que se retirasse da pauta de votação a mensagem do Executivo, ou, se colocada para apreciação, que seja rejeitada a proposta. Por isso, convocamos todos os policiais e bombeiros a comparecerem amanhã (quinta-feira, 19) na Assembleia Legislativa, de preferência fardados, para acompanhar os trabalhos. Vamos continuar a nossa vigília pela rejeição da proposta”, afirmou.