sexta-feira, 31 de julho de 2015

2 de cada 3 policiais já perderam colegas assassinados durante a folga

68% dos policiais do país dizem ter colegas assassinados fora de serviço

Dado faz parte de estudo do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.Maioria dos agentes relata falta de equipamentos e discriminação.


Policiais se despedem de colega assassinado em Aguaí, interior de SP, em outubro de 2014. Segundo pesquisa, quase 40% têm medo de morrer em serviço (Foto: Sagui Florindo/Gazeta de Aguaí)
Dois em cada três policiais do país dizem que já tiveram colegas próximos vítimas de homicídio fora de serviço. É o que mostra uma pesquisa feita pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública e cujos resultados foram divulgados nesta quinta-feira (30), no Rio.

O percentual de policiais que tiveram colegas mortos fora do expediente (68,4%) é maior, inclusive, que o de profissionais que dizem ter perdido um colega assassinado em serviço (60,6%).

Ainda de acordo com o estudo, 74,7% dos agentes de segurança no Brasil dizem já ter sofrido ameaças durante o combate ou a investigação de crimes; mais da metade (51,4%) relata ter sofrido ameaças também fora do serviço.

Maioria da população diz ter medo da Polícia Militar, aponta Datafolha



Foto: Roberto Pereira/SEI
Pesquisa do instituto “Datafolha” divulgada pelo jornal “Folha de S.Paulo” nesta sexta-feira (31) apontou que 62% de moradores de cidades com mais de 100 mil habitantes têm medo de sofrer algum tipo de agressão de policiais militares. A pesquisa também mostrou que 53% temem agressão de policiais civis.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

MP cobra Polícia Militar sobre coletes vencidos

Promotor João Linhares Júnior, dá prazo de 10 dias para comando apresentar relatório sobre quantidade de coletes vencidos e se estão em uso pela tropa

 Valéria Araújo
Do Progresso
Promotor de Justiça João Linhares Júnior diz que pretende levar tema para  o Coised. (Foto: Hédio Fazan)Promotor de Justiça João Linhares Júnior diz que pretende levar tema para o Coised. (Foto: Hédio Fazan)
O Ministério Público Estadual deu prazo de 10 dias para o comando da Polícia Militar apresentar parecer e relatório sobre a denúncia de que 80% dos coletes utilizados pela PM estariam vencidos. A situação foi relatada pela Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul (ACS/PMBM/MS) e divulgada pelo O PROGRESSO na última quinta-feira (16).

domingo, 19 de julho de 2015

Mulher ofende PM negro no DF ao ser pega com maconha: 'Sua cor diz tudo'

Ela disse que policial levaria cigarro para casa e o fumaria, afirma vítima.
Caso aconteceu em Santa Maria; suspeita foi levada ao Presídio Feminino.

Raquel MoraisDo G1 DF

FACEBOOK
Mulher flagrada com cigarro de maconha que teria ofendido militar negro em Brasília (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Flagrada usando drogas, uma mulher acabou presa no Distrito Federal por ofensas raciais ao policial negro que a abordou. "Você tem que se desfazer desse cigarro de maconha na minha frente, porque senão você vai levar para casa e vai fumar. A sua cor já diz tudo", teria dito ao policial. Ela também teria agredido e arranhado o pescoço de uma militar que tentou revistá-la. O caso aconteceu nesta sexta-feira (17), na região administrativa de Santa Maria.
Ela ficava: 'Tem crime mais grave acontecendo e vocês ficando atrás da gente aqui. Vou lá [à delegacia], vou sair antes de vocês, pela porta da frente, e ainda fumo um baseado na delegacia'. Estava de 'pirracinha'. Parecia que queria que a gente se alterasse, perdesse a razão"
Marcos Antonio Nogueira da Rocha,
soldado que testemunhou ofensas

sábado, 18 de julho de 2015

Policial de MS recebe recado na web de jovem que debocha da polícia


O policial militar da reserva de Mato Grosso do Sul Geter Ostemberg, de 48 anos, recebeu em sua página do Facebook mensagens enviadas pelo jovem de 21 anos procurado por fazer ameaças e debochar de policiais nas redes sociais. Durante buscas da polícia, o irmão dele foi preso por tráfico de drogas.

Em uma das mensagens, o suspeito diz "Aqui no Noroeste não tem polícia e eu que mando", fazendo referência ao bairro de Campo Grande na saída para Três Lagoas. Em outro recado, o jovem demonstra saber que Ostemberg é policial da reserva e fala para o militar pedir demissão porque "A PM não tá cm nada (sic)".

PMs trabalham com coletes à prova de tiros fora da validade


A falta de condições é, mais uma vez, motivo de reclamação dos servidores da segurança pública de Mato Grosso do Sul. Em Dourados – a 228 km de Campo Grande – policiais militares denunciaram de que 80% dos coletes à prova de balas do efetivo dos policiais militares estão com prazo de validade vencidos.

Segundo a Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul, 120 dos 150 equipamentos que deveriam garantir a proteção das equipes da cidade do sul do Estado contra a perfuração por armas de fogo estão fora do prazo de validade, alguns há três anos.

Segundo o cabo Aparecido Lima, 47, diretor da ACS em Dourados, a situação ocorre no Estado inteiro e não há mais como trabalhar com essa insegurança. “A gente tem que reivindicar, se ninguém nunca cobrar aí vão dizer que a gente fez vista grossa. Essa ‘doença’ é antiga, um governo que vai passando pro outro”, afirmou Lima.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

80% dos coletes 'à prova de bala' estão vencidos, denuncia associação


Policiais militares de Dourados estão com 80% dos coletes balísticos vencidos, um dos principais equipamentos de proteção e segurança dos servidores. Os dados são da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul (ACS/PMBM/MS), que denuncia ainda que este problema é uma realidade em todo o Estado.

De acordo com o diretor regional da ACS em Dourados, Aparecido Lima, dos 150 coletes disponibilizados para os policiais, cerca de 120 estão vencidos. Alguns desde 2009, ou seja, há 6 anos. “O colete vencido compromete a segurança do policial, já que determinadas munições podem furar o material. É o colete que vai definir entre a vida e a morte do servidor e se ele estiver ineficaz os riscos se agravam”, alerta, observando que no início deste ano, policiais de Mato Grosso chegaram a paralisar algumas operações por estarem com os coletes vencidos.

domingo, 12 de julho de 2015

PMs e bombeiros aceitam Carta Compromisso e mantém assembleia aberta para discutir verticalização

65 video

Policiais militares e bombeiros aceitaram de maneira unânime, em assembleia geral neste sábado (11), a Carta Compromisso (veja abaixo) assinada pelo governador Reinaldo Azambuja que elenca uma série de pautas das categorias. O documento foi entregue ao presidente da ACS (Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de Mato Grosso do Sul), Edmar Soares da Silva, na noite desta sexta-feira.

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Presidente da ACS fala sobre mudança na legislação sobre crimes hediondos


Em entrevista ao Guanandi Notícias, da TV Guanandi, o presidente da ACS (Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de Mato Grosso do Sul), Edmar Soares da Silva, comemorou a mudança na legislação, que agora classifica como crime hediondo o assassinato de servidores da segurança pública. “O meliante sabia que ia ficar um ano e seis meses, quando muito, preso. Depois, ia mudar de regime e fugir”, disse.

Matar policiais no exercício da função passa a ser crime hediondo

Confira a entrevista do presidente da ACS (Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de Mato Grosso do Sul), Edmar Soares da Silva, à TV Morena, onde ele fala sobre a mudança na legislação que classifica como crime hediondo o assassinato de servidores da segurança pública. “É uma vitória. A tendência é coibir e inibir a ação de grupos ou pessoas que cometeriam crimes contra esses servidores”, comemorou.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Carta de Compromisso deverá ser apresentada em assembleia no sábado


Presidente da ACS se reuniu ontem com o secretário da Sejusp. (Foto: Jeozadaque Garcia/Arquivo)

A Carta de Compromisso com os servidores militares, assinada pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB), deve ser apresentada neste sábado (11), durante assembleia convocada pela ACS (Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de Mato Grosso do Sul), em Campo Grande.

Ontem, o presidente da entidade, Edmar Soares da Silva, se reuniu com o secretário de Justiça e Segurança Pública, Silvio César Maluf, e com os comandantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, coroneis Deusdete Oliveira e Esli Ricardo de Lima, para formatar a proposta.

“A carta apresenta uma série de sugestões, que envolvem fixação de efetivo, antiguidade para promoções de praças, política de valorização salarial e redução de interstício. Toda e qualquer nova proposta do Executivo será apresentada até a sexta-feira”, adiantou Edmar.

A assembleia será no próximo dia 11 (sábado), às 9h, na sede da ACP (Sindicato Campo-grandense dos Professores), fica na Rua Sete de Setembro, 693, esquina com a Rui Barbosa, no centro de Campo Grande.



Jeozadaque Garcia
Assessoria de Imprensa da ACS