quarta-feira, 22 de julho de 2015

MP cobra Polícia Militar sobre coletes vencidos

Promotor João Linhares Júnior, dá prazo de 10 dias para comando apresentar relatório sobre quantidade de coletes vencidos e se estão em uso pela tropa

 Valéria Araújo
Do Progresso
Promotor de Justiça João Linhares Júnior diz que pretende levar tema para  o Coised. (Foto: Hédio Fazan)Promotor de Justiça João Linhares Júnior diz que pretende levar tema para o Coised. (Foto: Hédio Fazan)
O Ministério Público Estadual deu prazo de 10 dias para o comando da Polícia Militar apresentar parecer e relatório sobre a denúncia de que 80% dos coletes utilizados pela PM estariam vencidos. A situação foi relatada pela Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul (ACS/PMBM/MS) e divulgada pelo O PROGRESSO na última quinta-feira (16).

No documento destinado ao comando da PM, a promotoria pede informações sobre a quantidade de coletes vencidos, e caso existam, quantos são estão na iminência de expirar a validade. O documento também questiona se estes coletes estão sendo utilizados pela tropa e solicita documentos comprobatórios, bem como eventuais cobranças que o comando local tenha feito ao governo do Estado para regularizar a referida situação. De acordo com João Linhares a medida tem a finalidade de investigar a denúncia e se constatadas, cobrar providências da Secretaria de Justiça do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul.O promotor também diz que pretende levar o tema para o Conselho Institucional de Segurança Pública de MS.

Conforme publicou O PROGRESSO em primeira mão, dados da Associação de Cabos e Soldados da PM mostram que dos 150 coletes disponibilizados para os policiais, cerca de 120 estariam vencidos; alguns desde 2009, ou seja, há 6 anos. “O colete vencido compromete a segurança do policial, já que determinadas munições podem furar o material. É o colete que vai definir entre a vida e a morte do servidor e se ele estiver ineficaz os riscos se agravam”, alertou o diretor regional da ACS em Dourados, Aparecido Lima, observando que no início deste ano, policiais de Mato Grosso chegaram a paralisar algumas operações por estarem com os coletes vencidos.

Outra grave situação para os policiais de Dourados denunciada pelo sindicato é a falta de um alojamento adequado dentro de unidades de saúde, como Hospital da Vida e Universitário. De acordo com Aparecido, os policiais que fazem a escolta de presos com doenças extremamente contagiosas como a tuberculose, ficam abrigados no mesmo espaço desses pacientes. “O ideal seria como é feito em Campo Grande, onde há uma sala com banheiro específico para o policial. Aqui os pacientes e policiais dividem estas mesmas estruturas, o que gera um grave risco de contaminações diversas para os policiais”, destaca, observando que o ideal seria 1 preso para cada 2 policiais, mas que por causa da falta de efetivo, que hoje seria de cerca de 300 PMs, Já houve casos de 1 policial ficar sozinho cuidando de quatro presos em hospital.

A Associação também informa a população sobre a falta de algemas para os policiais. “Em 60% dos casos as algemas dos profissionais são compradas por eles mesmos. Outras algemas, como a de locomoção de presos, também estão em falta. Por causa disso temos que colocar de dois a três presos numa algema só durante o transporte diário que é de cerca de 30 por dia ao Fórum”, revela, observando que o défict seria de 30 algemas.

Para o advogado Marcos Santos, membro da Comissão de Advogados Criminalistas da 4ª Subseção da OAB/Dourados, tão grave quanto remunerar mal quem tem a nobre missão de zelar pela segurança alheia é permitir que esses policiais saiam às ruas sem a certeza que seus coletes serão capazes de protegê-los”, ressalta o advogado.

A Assessoria de imprensa do Estado não se pronunciou a respeito.

http://www.progresso.com.br/dia-a-dia/mp-cobra-policia-militar-sobre-coletes-vencidos

0 comentários :

Postar um comentário