terça-feira, 6 de junho de 2017

Policiais e bombeiros fecham o trânsito na Governadoria em primeiro manifesto contra reajuste zero



Manifesto de policiais e bombeiros fechou o trânsito na porta da Governadoria. (Fotos: Jeozadaque Garcia)
Manifesto de policiais e bombeiros fechou o trânsito na porta da Governadoria. (Fotos: Jeozadaque Garcia)
Policiais militares e bombeiros realizaram, na tarde desta segunda-feira (05), o primeiro manifesto contra a política de reajuste zero que o governador Reinaldo Azambuja ofereceu ao funcionalismo público. Em ato na porta da Governadoria, que reuniu dezenas de militares, o trânsito foi fechado em uma das vias e o presidente da ACS (Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de Mato Grosso do Sul) teceu duras críticas ao chefe do Executivo.




“No evento de entrega de viaturas em Dourados, o governador disse que o PIB (Produto Interno Bruto) teve um crescimento de 4%, mas isso não reflete na questão salarial. Se houve crescimento, por que não tem dinheiro para o reajuste? É uma conta que não fecha”, questionou.

Segundo Edmar, no momento, a maior exigência da categoria é o cumprimento do que foi acordado no ano passado: a política de verticalização salarial. “Queremos a reposição inflacionária de 4,99%, além do pacto de verticalização. Não adianta só dar viaturas novas e armas, o policial precisa de dignidade no salário para desenvolver as funções”, ressaltou.


O ato ainda reuniu representantes da AOFMS (Associação dos Oficiais Militares), Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis), Aspra (Associação de Praças), além de membros das regionais de Paranaíba, Dourados, Aquidauana e Fátima do Sul.

Os militares voltam a se reunir em assembleia na próxima segunda-feira (12), em horário e local a serem definidos.

Jeozadaque Garcia
Assessoria de Imprensa da ACS

0 comentários :

Postar um comentário