quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Proposta do Executivo cria centro de ressocialização para militares em MS



O Poder Executivo encaminhou à Casa de Leis nesta terça-feira (10), o Projeto de Lei Complementar (PLC) 10/2017 que cria, na estrutura da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso do Sul, o estabelecimento penal militar denominado Presídio Militar Estadual (PME), Centro de Ressocialização Fidelcino Rodrigues (Sargento Baiano), localizado no município de Campo Grande.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Aprovadas mudanças no sistema de gratificação de policiais em Pernambuco

A Comissão de Administração Pública da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) aprovou, ontem (4), o Projeto de Lei Nº 1596/2017, de autoria do Poder Executivo, que reformula o modelo de gratificação aplicado no Pacto Pela Vida, em execução há dez anos. O texto do projeto prevê uma bonificação para policiais civis e militares que superarem metas e alcançarem bons resultados nas ações de combate à violência.

Mulher é assassinada a facadas pelo ex-marido dentro de viatura policial

Laís Andrade Fonseca trabalhava como atendente e descobriu que o ex estava a vigiando com uma câmera escondida / Foto: reprodução/Facebook
Laís Andrade Fonseca estava a caminho de Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, para registrar denúncia contra o ex-marido quando foi atacada dentro do carro da PM. Os dois estavam juntos no banco de trás da viatura.

A atendente Laís Andrade Fonseca chamou a polícia após descobrir que o ex-companheiro, de 34 anos, tinha instalado uma câmera dentro de sua casa, no município de Pavão. 

Ela foi até o quartel da polícia e registrou a denúncia. A câmera estava instalada no banheiro da sua casa e as imagens eram gravadas em tempo real. De acordo com o boletim de ocorrência, Laís temia que o ex-marido divulgasse imagens dela e de seu filho, de 8 anos.

domingo, 1 de outubro de 2017

Prisão de sargento do Batalhão de Choque provoca revolta na tropa

Confusão começou com acidente que envolveu amigo do policial, na sexta-feira

Confusão aconteceu nesse trecho da rua que é continuação da Panambi Verá. (Foto: reprodução Google Maps)
Confusão aconteceu nesse trecho da rua que é continuação da Panambi Verá. (Foto: reprodução Google Maps)
O sargento da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul Éder Queiroz Gomes, de 35 anos, lotado no Batalhão de Choque, está preso desde a tarde sábado (30), sob a acusação de ameaça a um comerciante. A prisão em flagrante foi feita em uma lan-house na rua Alberto Carlos de Mendonça Lima, no Jardim Tijuca, em Campo Grande, onde o policial estava junto com outros dois colegas, fardado e em uma viatura policial. Ao seu favor, o sargento tem a tropa, que, por meio da entidade que representa a classe e ainda de policiais que procuraram o Campo Grande News, afirmam que a prisão foi arbitrária, que a suposta vítima fez ameaças e disse ter influência com gente de alta patente da PM.

O local onde o policial foi preso pertence a Franklin Nunes Martins, 26 anos, que acionou o Ciops (Centro de Integração e Operaçãoes) alegando estar sendo ameaçado. Segundo Franklin, o sargento foi ao local para tirar satisfações em nome de um amigo, identificado como o comerciante Eraldo Gomes Patrício Junior, 27 anos, depois de um acidente de trânsito, na semana passada. Franklin estava de moto e Eraldo de carro quando ocorreu uma colisão, sem maiores danos, mas que provocou toda a confusão.

Policial encontrado morto em posto pediu à PM para não trabalhar sozinho

Sepultamento foi realizado na tarde deste domingo (Foto: Marina Pacheco)

Sepultamento foi realizado na tarde deste domingo (Foto: Marina Pacheco)

O sargento Agustinho Marques do Amaral, 48 anos, morto na manhã de sábado (30) no pelotão da PM (Polícia Militar), no bairro Nova Lima, em Campo Grande, havia solicitado à corporação para não trabalhar sozinho. Quando Agustinho morreu não havia mais ninguém no posto policial.

Agustinho, que foi sepultado na tarde deste domingo (dia 1º) no Memorial Park, salvara uma bebê em maio do ano passado no mesmo local onde morreu. A trágica coincidência poderia ter sido evitada caso pedido feito pelo policial tivesse sido atendido.

Conforme o irmão de Agustinho, o gerente Émerson Marques do Amaral, 38 anos, o policial havia solicitado para não trabalhar sozinho. “Ele tinha medo de muitas coisas: de ser atacado e morto, porque no posto tem muitas armas; de ter que atender outro caso como a do bebê...”, contou Émerson.

Ainda de acordo com o gerente, a PM negou pedido, alegando pouco efetivo.
Colegas de farda, que pediram para não ser identificados, disseram ao Campo Grande News que é comum policial ficar sozinho no posto. Eles acrescentaram que, no dia da sua morte, Agustinho teria ficado apenas 20 minutos desacompanhando.

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Proposta quer liberar militares de MS para promoção enquanto respondem a processo

Mudança em regra de aposentadoria também foi apresentada

Deputados aprovaram em primeira votação nesta terça-feira projeto de lei do Executivo que muda as regras para promoção de policiais militares e bombeiros de Mato Grosso do Sul. A proposta prevê que militares que estiverem respondendo a processo possam ser submetidos a promoção na carreira, situação vedada atualmente.
Autor de indicação que baseou projeto do Governo, Coronel David (PSC) explica que a mudança na regra fará com que o “bom policial seja privilegiado, e aquele que desabone a categoria não seja promovido”.
O deputado citou o exemplo de um policial que durante uma abordagem atirou nas pernas de um suspeito. Por regra, a conduta do PM se transformou em um processo crime e fez com que aquele militar ficasse impedido de participar de processo de promoção pelo período de três anos.
Com a aprovação do projeto, os militares poderão ingressar no quadro de acesso para fins de promoção enquanto forem réus em procedimentos abertos para apurar a conduta durante ou fora do trabalho

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Apenas 30% do efetivo PM está atuando nas ruas em Dourados durante manifesto

Aquartelamento deve durar até às 7h de sábado com somente cinco viaturas atuando na maior cidade do interior de MS

(Foto: Flávio Verão)

Apenas 30% do quadro de policiais militares efetivos estão em atuação nas ruas da maior cidade do interior de Mato Grosso do Sul após aquartelamento desta sexta-feira (01). Em Dourados, agentes do 3° Batalhão e Cavalaria da PM estão cumprindo programação de manifesto durante 24h em reivindicação ao reajuste de 7% no salário.
Apenas policiais oficiais e comissionados estão disponíveis para atender a demanda de solicitações no serviço de atendimento do 190, que está operando normalmente durante o movimento.
O líder da ACS (Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar) em Dourados, Aparecido Lima, contou que os manifestantes estão sendo ameaçados de prisão, de exclusão à curso de cabos e soldados e de serem até tranferidos para outras localidades em decorrencia ao protesto. Ele afirma que apesar das ameaças, o movimento deve continuar até a manhã de sábado.
Foram liberadas apenas cinco viaturas para circular em Dourados durante o policiamento reduzido, e demais veículos da frota estão sendo impedidos de saírem do batalhão.

domingo, 20 de agosto de 2017

Agentes de trânsito cobram renovação de bafômetros


A PRF tem 1.800 bafômetros para todo o País, sendo que apenas mil deles estão sendo usados. Os demais precisam de manutenção

Representante do Inmetro informou que órgão analisa atualmente seis pedidos de homologação feitos por fabricantes, mas ressaltou que instrumentos só serão liberados se cumprirem requisitos exigidos

A PRF tem 1.800 bafômetros para todo o País, sendo que apenas mil deles estão sendo usados. Os demais precisam de manutenção.

Em audiência pública da Comissão de Viação e Transportes, deputados e agentes de trânsito cobraram na terça-feira (15) a renovação dos etilômetros, nome técnico dos chamados bafômetros, os aparelhos que medem a quantidade de álcool no sangue no motorista.

domingo, 13 de agosto de 2017

PM aquartela a partir de sexta dia 18.


Depois da ameaça de greve dos professores da rede estadual, durante a negociação salarial, a ACS (Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de Mato Grosso do Sul) informou que o aquartelamento é uma possibilidade, caso a contraproposta do governo do Estado para o reajuste salarial não agrade a categoria.

Como não podem fazer greve, o aquartelamento é a medida adotada pelos policiais. Eles ficam dentro dos batalhões sem realizar os trabalhos ostensivos de forma total. De acordo com a ACS, uma assembleia será realizada na próxima semana. Ficou decidido que a próxima sexta-feira (18), será o prazo final para uma contraproposta do Governo sobre o reajuste salarial da categoria.

“A categoria está insatisfeita não só com a proposta dada à Polícia Militar e ao Corpo de Bombeiros, mas também com o tratamento desigual dado a outras categorias, o que nunca aconteceu. Uma medida mais radical pode ser definida na assembleia, mas quem decide é a tropa. A participação de todos os policiais, de soldado a coronel, é de suma importância”, infor mou o presidente da entidade, Edmar Soares da Silva, por meio de nota.Conforme a ACS, o governo do Estado ofereceu um reajuste linear de 2,94% para todo o funcionalismo público, inclusive policiais militares e bombeiros, a partir de outubro. A proposta desagradou os representantes dos militares, pois, no ano passado, o Executivo havia se comprometido em implantar a política de verticalização salarial da categoria.


Pela proposta elaborada pela ACS, o soldado em início de carreira deveria a receber, até 2018, 20% do que ganha um coronel do mesmo nível.

sábado, 12 de agosto de 2017

'Cadê a reforma criminal?', questiona secretário em enterro de mais um PM no RJ

Roberto Sá voltou a pedir mudanças na legislação para reduzir criminalidade no Rio. Com mais 3 assassinatos em 24 horas, chega a 97 número de PMs mortos em 2017.
Por G1 Rio

Secretário de Segurança do Rio fala sobre morte de PMs 

O secretário de Segurança do Rio, Roberto Sá, foi neste sábado (12) ao enterro de um dos três policiais militares mortos em menos de 24 horas, o soldado Samir da Silva Oliveira, de 36 anos. Após a cerimônia, Sá voltou a pedir mudança na legislação criminal brasileira e lamentou o número de 97 PMs assassinados em 2017 no estado.