sábado, 26 de janeiro de 2013

ARMA QUE ATIRA LIQUIDO COM DNA



Cápsula semelhante à de paintball serve para marcar pele e roupa.
Marca dura semanas e pode identificar vândalo em protesto, por exemplo.


A arma que atira cápsulas com líquido de DNA desenvolvida por empresa britânica (Foto: Divulgação/Selectamark)
Uma empresa de segurança britânica criou armamentos que utilizam um sistema inovador para identificar vândalos e criminosos: eles atiram cápsulas com um líquido contendo um marcador único de DNA, que se fixa na pele e na roupa do indivíduo ao atingi-lo.
Chamado de "Sistema de Marcação de DNA de Alta Velocidade" ("High Velocity DNA Tagging System", em inglês) ou simplesmente "SelectaDNA High Velocity System", o armamento está disponível nas versões pistola e rifle, segundo a empresa Selectamark.
Cada cápsula pesa cerca de um grama e age de forma parecida com a munição de paintball, explodindo o invólucro ao atingir o alvo e liberando um líquido transparente, que possui um DNA único. A arma permite um alcance de até 40 metros, afirma a nota da Selectamark, e não fere o alvo.
A arma permite, por exemplo, atingir um vândalo em um protesto a uma distância segura e identificá-lo mais tarde, segundo a empresa. Cada kit do "SelectaDNA" traz 14 cápsulas da cor verde-clara, com o líquido contendo o código de DNA, que deixa a pele marcada por semanas.
O kit traz ainda instrumentos para identificar os criminosos com o DNA no corpo ou na roupa. O material é líquido o suficiente para penetrar pelo tecido e marcar a pele do suspeito, afirma uma nota da empresa.
Arma e cápsulas com líquido transparente que contém DNA (Foto: Divulgação/Selectamark)Arma e cápsulas com líquido transparente que
contém DNA; criminosos podem ficar marcados
por semanas (Foto: Divulgação/Selectamark)
"Ao ter contato com o alvo, a solução contendo o código genético deixa uma marcação sintética de DNA que permite às autoridades confirmar se houve ou não participação daquela pessoa em uma situação particular, como um crime", disse o diretor da Selectamark, Andrew Knights, em nota divulgada pela empresa.
"Isso pode contribuir para ações judiciais e prisões subsequentes", afirmou Knights.
A arma pode ser usada também quando um policial está perseguindo um suspeito e corre o risco de perdê-lo de vista, segundo a empresa.
A identificação do DNA é feita através de luz ultravioleta. A arma inclui mira a laser, e permite gravar sons e imagens que podem servir como prova posteriormente. O armamento deve ser disponibilizado para mais de 20 países, de acordo com a Selectamark.
Para ler mais notícias do G1 Ciência e Saúde, clique em g1.globo.com/ciencia-e-saude. Siga também o G1 Ciência e Saúde no Twitter e por RSS.

0 comentários :

Postar um comentário