segunda-feira, 2 de setembro de 2013

PMA morto tinha comportamento exemplar, diz corporação


Suspeito do crime já foi identificado e vai responder por homicídio

 
Renan NucciShare on email




PMA morreu atropelado por contrabandista de cigarro. Foto: Divulgação/PMA

A Polícia Militar Ambiental de Mato Grosso do Sul (PMA/MS) comentou nesta segunda-feira a morte do membro da corporação, José Rodrigues de Lima, de 47 anos, vítima de atropelamento durante abordagem a um grupo de contrabandistas de cigarros.

Segundo divulgado em nota pela PMA, na ficha de José constava que ele possuía comportamento exemplar, sempre dedicado, honesto e cumpridor de sua missão que era proteger a população e ajudar a manter a ordem pública.

O militar era casado e deixou três filhos, sendo duas adolescentes de 16 e 17 anos, e uma criança de nove anos. Ele foi enterrado com honras neste domingo, no município de Naviraí.

MORTE

A morte do PMA ocorreu no último dia 30, durante uma operação contra pesca predatória no rio Paraná, no extremo sul do Estado, divisa com o Paraná. Participavam da ação policiais de Mundo Novo, Naviraí e Dourados. Por volta das 19 horas, as autoridades perceberam a aproximação suspeita de duas lanchas e um jet ski, em uma área próxima ao assentamento Sul Bonito.

Nas imediações, os policiais flagraram um homem em uma moto. Ele portava um rádio comunicador e disse ser batedor de um carregamento de cigarro que chegava do Paraguai. Durante a entrevista, foi ouvido o som de disparos e a PMA foi averiguar, momento em que surgiu uma camionete. José tentou abordar o veículo, mas acabou sendo atropelado propositalmente pelo contrabandista.

Os colegas tentaram socorrê-lo rapidamente, mas já era tarde. Dois dos contrabandistas foram presos, porém, o motorista da camionete abandonou o veículo e conseguiu fugir. Ele ainda não foi preso, mas já foi identificado e deverá responder pelo crime de homicídio doloso. O caso está sendo investigado.

0 comentários :

Postar um comentário