domingo, 16 de novembro de 2014

Após piada em WhatsApp, PM faz blitz da Lei Seca e prende 26 em Natal

Foto do tenente Styvenson embarcando para
Brasília se espalhou nas redes sociais
(Foto: reprodução grupo de WhatsApp)

Responsável por coordenar as operações da Lei Seca na capital potiguar, o tenente da Polícia Militar Styvenson Valentim disse que ficou chateado com uma foto que circulou nas redes sociais na qual ele aparece embarcando, na última quarta-feira (12), para um seminário em Brasília, e decidiu dar uma resposta à provocação. A imagem, de autoria desconhecida, se espalhou pelos grupos de WhatsApp com a seguinte mensagem: 'Bora beber que o homem viajou... vai com Deus Ten. Steyveson'. Na madrugada deste sábado (15), já com o tenente de volta a Natal, 57 carteiras de habilitação foram recolhidas e 26 motoristas presos por embriaguez ao volante durante fiscalização realizada na Avenida Engenheiro Roberto Freire, na Zona Sul da cidade. “Esta foi a minha resposta”, afirmou aoG1.

Enquanto permaneceu no Distrito Federal, não houve nenhuma fiscalização para coibir crimes de trânsito na capital potiguar. O tenente disse que desembarcou em Natal pouco depois da meia-noite, já na madrugada deste sábado. Meia hora depois, já estava na Avenida Engenheiro Roberto Freire, onde montou a barreira de fiscalização juntamente com o Departamento Estadual de Trânsito. “Estava muito cansado. Mas decidi dar uma resposta ao gaiato que fez a foto e espalhou a imagem. Para mim, isso foi um afronte. Não à minha pessoa, mas à legislação. Se arrisca quem acha que tá liberado beber e dirigir”, rebateu.

O oficial foi fotografado no saguão do Aeroporto Internacional Aluízio Alves. Ele e o comandante geral da corporação, coronel Francisco Araújo Silva, foram a Brasília participar de um seminário internacional sobre segurança no trânsito. O comandante retornou a Natal primeiro, chegando ainda na tarde da sexta-feira (14). Já o tenente, pegou outro voo.

Choro na blitz
Ainda de acordo com o tenente Styvenson, um dos motoristas presos durante a blitz realizada nesta madrugada chorou após soprar o bafômetro e ficar constatado que ele estava sob efeito de álcool. "O rapaz chorou bastante. Tava tão bêbado que inventou um monte de histórias. Disse até que havia sido assaltado. Descobrimos, depois, que ele tinha brigado numa festa, onde encheu a cara", revelou o oficial.

O rapaz, assim como os outros 25 detidos por embriaguez ao volante, foram autuados na Delegacia Móvel da Polícia Civil, pagaram fiança e foram liberados. Mesmo assim, responderão criminalmente pelo crime de trânsito, pagarão multa no valor de R$ 1.915,40, perderão 7 pontos na carteira e ainda terão a CNH apreendida durante um ano.

Natalense, a cantora Débora Reis decidiu aproveitar a fama do tenente Styvenson para fazer sucesso. Após ser abordada e ter de parar o carro para soprar o bafômetro três vezes - e em outras duas ocasiões sair de casa durante a madrugada para ir buscar amigos detidos por embriaguez ao volante - ela está gravando um repertório para ser lançado durante o carnaval de 2015 e escolheu a 'Lei Seca' como inspiração para dar nome à música carro-chefe do CD. A pedido do G1, Débora gravou um vídeo para mostrar o trabalho (veja).

Na letra da música, Débora brinca com o oficial da PM, quando diz: "Calma, tenente, tem dó da gente, eu bebi pouco só pra relaxar". O tenente Styvenson Valentim ouviu a música e elogiou a cantora. Para ele, Débora foi inteligente ao sintetizar a sensação e as explicações de quem é abordado pela equipe da Lei Seca. “As pessoas alegam que foi só uma cerveja para relaxar porque trabalham demais e o valor da notificação para muitos é onerosa. A cantora tem essa percepção porque presenciou o que mais eu escuto todas as noites”, afirma.
Um dos motoristas presos chorou ao ficar
constatada a ingestão de bebida alcoólica
(Foto: Divulgação/Polícia Militar do RN)

Estatísticas
Em Natal, a operação Lei Seca já prendeu 567 pessoas dirigindo sob efeito de álcool somente no período de janeiro a agosto deste ano. Do total de presos, 495 são homens e 72 mulheres. Os dados, divulgados pelo Detran, mostram ainda que outros 1.693 motoristas foram autuados administrativamente por embriaguez ao volante.

No total, a operação autuou criminalmente e administrativamente 2.260 condutores, dos quais 1.977 tiveram suas carteiras de habilitação apreendidas. De todas as autuações, administrativas e criminais, 81,95% envolveram homens e 18,05% mulheres. Os motoristas que não tiveram as carteiras apreendidas se encontravam sem habilitação ou eram inabilitados.

Dos 2.260 motoristas autuados, 1.079 foram punidos por terem se recusado a fazer o bafômetro. As recusas ao teste do etilômetro representam 47,7%, quase metade das autuações. Quando a situação acontece, o condutor é autuado administrativamente, tem a carteira de habilitação recolhida e é multado em R$ 1.915,40.

Lei Seca
As regras da Lei Seca consideram ato criminal quando o motorista é flagrado dirigindo com índice de álcool no sangue superior ao permitido pelo Código Brasileiro de Trânsito: 0,34 miligrama de álcool por litro de ar expelido ou 6 decigramas por litro de sangue.

Nesse caso, a pena é de detenção de 6 meses a 3 anos, multa e suspensão temporária da carteira de motorista ou proibição permanente de obter a habilitação.

Condutores autuados por esse tipo de infração pagam R$ 1.915,40 de multa, perdem 7 pontos na carteira e têm a CNH apreendida. O valor é dobrado caso o motorista tenha cometido a mesma infração nos 12 meses anteriores.

Se o bafômetro registrar um índice igual ou superior a 0,05 miligrama de álcool por litro de ar, mas abaixo do 0,34 permitido pelo Código de Trânsito, o condutor é punido apenas com multa.

No exame de sangue, o motorista será multado por qualquer concentração de álcool, e pode ser preso se tiver mais de 6 decigramas de álcool por litro de sangue.

G1

0 comentários :

Postar um comentário